sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

O arrecendo do teu sospiro



Hoxe sonhei co teu sospiro
que enchia a miha i'alma
sonhei sentirme vivo
deitado na cama
Hoxe sonhei ca estaba esperto
e que xa non mais sonhaba
sonhaba, mais so dos teus ollos me lembro
e o demais ficou nas sabas
Sonhei tamen que non durmia
e que na casa so non estaba
sonhei que tinha a luz prendida
e que me alumiaba a cara
Sonhei tamen que arrecendia
como se inda non marcharas
sonhei tamen que me resistia
mais non contiven as bagoas
Hoxe espertei deste sono
do que agora vos falaba
espertei hoxe e fixeno soio
soio na minha cama
Fico esperto mais sito o sospiro
coma tamen fico en que non sonhaba
fico esperto fico pensativo
fico antre as mesmas sabas
Espertei hoxe mais non entendo
que os teus ollos se fecharan
que alu prendida n teito
fora a que me espertara
que me espertara nun novo dia
pra alumiarme na cara
pra espertarme facelo asinha
pra espertar antre as mesmas sabas

Sem comentários:

Enviar um comentário